Shi Weihan, dono de uma livraria cristã em Pequim, está aguardando o resultado de uma sessão da corte em 19 de agosto e deve voltar diante da corte em uma semana, de acordo com fontes da agência de notícias Compass Direct.

Ele ainda não recebeu remédios e uma dieta apropriados para a diabetes. Shi está “irreconhecível” devido à grande perda de peso, declararam membros da família.

A livraria de Shi, localizada perto da Vila Olímpica, continuou funcionando durante os Jogos Olímpicos.

Processo legal secreto

Inicialmente o PSB de Pequim negou ter Shi sob custódia, com os funcionários declarando que eles não sabiam seu paradeiro.

Depois de o advogado de Shi, Zhang Xingshui, ter protestado, o PSB admitiu que Shi estava preso e permitiu-lhe um único encontro com seu advogado.

A família e os amigos de Shi esperavam que o julgamento acontecesse em 19 de junho, data que marcava o fim de três meses de detenção sem acusações. A lei chinesa proíbe o PSB de manter cidadãos chineses presos por mais do que dois meses sem acusações formais, e a família e os amigos de Shi pensavam que o marco de três meses pudesse ser significativo.

No entanto, o julgamento não aconteceu naquele dia.

Autoridades removeram Shi da Agência Municipal de Segurança Pública de Pequim de volta para o Centro de Detenção do Distrito de Haidian onde ele esteve detido depois de sua prisão em novembro de 2007.

Shi pode ter sido mantido “incomunicável” durante os Jogos por causa do medo de que ele usasse suas ligações com estrangeiros para embaraçar a China durante o evento, disse uma fonte que preferiu ficar anônima. Shi tem muitos amigos e clientes estrangeiros.

“Possivelmente o governo o considera como um organizador potencial de discórdia pública, apesar de muitos que conhecem Shi afirmarem que ele é pacífico, patriota e educado, não chamando atenção para si mesmo”, acrescentou a fonte.

A loja de Shi era operada legalmente e vendia somente apenas. No entanto, sua empresa Sociedade Comercial Santo Espírito, imprimia Bíblias e livros cristã sem autorização. Elas eram distribuídas para as igrejas não-registradas, de acordo com o Asia Times Online.

A mulher e duas filhas de Shi estão sob grande pressão como resultado de sua prisão. Fontes têm pedido oração para que “a força e fé da família não se abalem”.

Fonte: Portas Abertas