Mais de 20 seguidores de uma igreja protestante clandestina em Pequim foram detidos neste domingo pela polícia chinesa.

A Polícia chinesa deteve neste domingo a dezenas de seguidores de uma igreja protestante clandestina em Pequim quando se dispunham a oficializar um ato em público depois que foram expulsos de seu lugar habitual de reunião, informaram testemunhas e grupos de direitos humanos.

Testemunhas informam através do Twitter que a Polícia deteve mais de 20 seguidores da igreja Shouwang, quando tentavam oficiar um ato religioso na área de Zhongguancun, do bairro de Haidian.

Segundo a ONG China Aid, a Polícia deteve na noite deste sábado os líderes da paróquia, incluindo o catedrático You Guanhui, para prevenir uma reunião à qual mais de mil pessoas tentaram comparecer.

As testemunhas asseguram que os veículos policiais esperavam esta manhã no local do encontro e que a Polícia ia levando os fiéis à medida que estes chegavam.

A China é um Estado laico que reconhece por motivos históricos religiões como budismo, confucionismo, taoísmo, islamismo, cristianismo, mas só em grupos controlados pelo Partido Comunista, no poder desde 1949.

[b]Fonte: EFE
[/b]