Num instante em que o Senado encontra-se imerso em denúncias, a CNBB divulgou uma nota de repúdio à corrupção.

Sob o título “A Superação da Corrupção na Política: Salvaguarda da Ética e da Democracia”, o texto abre com uma citação bíblica (Timóteo 6,10):

“Na verdade, a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro”.

O documento manifesta a “indignação” da entidade máxima da Igreja “diante das repetidas acusações de corrupção”.

Classifica “a corrupção e a decorrente impunidade” como as “grandes ameaças ao sistema democrático”.

Realça o fato de que “raramente se tem notícias sobre a restituição dos recursos e bens públicos usurpados”.

Não há menção explícita ao Congresso, mas uma referência genérica à reiteração dos malfeitos no âmbito dos “poderes constituídos”.

Faz alusão à “política” e às “exigências éticas do evangelho”. Empilha as “virtudes sociais” de que deveriam ser dotados os políticos:

“Competência, retidão, transparência e espírito de serviço”.

Repisa a tecla que motivou a nota: “A superação da corrupção exige pessoas e partidos com perfil íntegro para o exercício do mandado público”.

A CNBB critica a atuação da imprensa. Reconhece que tem “divulgado a prática de comprovada corrupção nos meios políticos como um círculo vicioso […]”.

Mas ressalva: “Ao mesmo tempo em que a mídia funciona como caixa de ressonância, denunciando os males presentes na vida política…”

“…Muitas vezes pode semear na opinião pública a idéia da inutilidade do Congresso, desvalorizando a democracia”.

A Igreja defende a “reforma política”, um projeto que, no vaivém do Legislativo, foi mandado à cova pela enésima vez.

Conclama a sociedade a se engajar num “projeto de lei de iniciativa popular” que trate da reforma natimorta e também da vida pregressa dos candidatos –“Projeto Ficha Limpa”.

São três os signatários da nota: Dom Geraldo Lyrio Rocha, Dom Luiz Soares Vieira e Dom Dimas Lara Barbosa –respectivamente presidente, vice e secretário-geral da CNBB.

Integram Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Reuniram-se em Brasília de terça (16) a quinta (18).

Fonte: Blog do Josias