O pastor evangélico Pedro Torres, de 41 anos, morreu na manhã desta segunda-feira na UBS Rômulo Ribeiro da Costa, no Jardim Aeroporto. Com dores no peito, ele foi de bicicleta até o local, foi atendido, mas não resistiu.

A família reclamou da demora na chegada da Unidade de Suporte Avançado.

Segundo familiares, a ambulância, que possui os equipamentos necessários para reanimar a vítima de enfarto, demorou de 30 a 40 minutos para atender o pastor, o que poderia ter reduzido suas chances de sobreviver.

O gerente da UBS, Humberto Grecca Neto, não soube dizer qual foi a demora na chegada da ambulância. Mas afirmou que ela “não foi significativa”.

“Ele já chegou com parada cardíaca. Todas as manobras de ressuscitação foram feitas, mas infelizmente não tivemos êxito”, disse o gerente.

Na porta da UBS, familiares do pastor se mostravam revoltados com a demora na chegada da ambulância. “Eles ficaram fazendo a massagem manual dele, mas isso não adianta”, reclamava um primo de Torres.

De acordo com a família, o pastor vinha sentido dores no peito já há 15 dias. No domingo, Torres participou das festividades do Dia das Mães na igreja Livres em Cristo, que duraram o dia todo. Ontem, ele sentiu dores novamente e se dirigiu à UBS.

Pedro Torres deixou a mulher e um filho de 15 anos.

Fonte: A Cidade