Kim Davis, [url=https://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=30931]a funcionária norte-americana que se recusava a casar homossexuais[/url], volta a estar nas notícias. Agora é apelidada de “hipócrita arrogante” pela própria igreja cujos ideais defende de forma acérrima.

[img align=left width=300]http://static.noticiasaominuto.com/stockimages/1370×587/naom_560ccf3f8b015.jpg[/img]A funcionária de um cartório de Kentucky, no Texas, fez os títulos de várias publicações internacionais ao recusar-se a passar licenças de casamento a casais do mesmo sexo, porque a sua religião – Igreja Batista de Westboro – se opõe ao casamento gay.

Agora é a própria igreja cujos ideais segue de forma tão fiel a ‘fechar-lhe a porta’, acusando-a de pôr o casamento homossexual na ordem do dia. “A mulher de Kentucky pôs o pecado nas notícias”, afirmam os membros da igreja que se reuniram em protesto junto ao local onde esta trabalha.

Mas a principal crítica feita a Kim Davis é de outra ordem. “Ela mente sobre Deus e acha que o adultério é aceitável”, atiram os seguidores. Isto porque Davis já foi casada quatro vezes, fazendo dela “uma hipócrita arrogante”, escreve o Huffington Post.

A igreja batista à qual pertence sustenta que Davis quebrou os votos do próprio casamento e, assim sendo, cometeu adultério.

[b]Fonte: Mundo ao Minuto[/b]