O comandante das Forças Armadas da Turquia afirmou nesta segunda-feira que “centros do mal” estão tentando prejudicar o governo secular do país.

O general Yasar Buyukanit não identificou quem, na opinião dele, estaria “tentando corroer a natureza secular da República Turca”.

Mas o alerta do general ocorre um dia antes de uma nova votação em que os parlamentares turcos devem eleger o novo presidente do país.

A expectativa é de que o atual ministro das Relações Exteriores, Abdullah Gul, de tendência islâmica, seja eleito. A candidatura de Gul tem sido cercada de polêmica.

O Exército se intitula o guardião do secularismo na Turquia. Nos últimos 60 anos, o Exército turco derrubou quatro governos.

Alertas

Este é o segundo alerta lançado pelo Exército nos últimos meses.

Em abril, os militares expressaram preocupação depois que Gul, candidato do Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP, na sigla em turco), que governa o país, conseguiu apenas um pouco mais do que a maioria do apoio dos parlamentares para ser eleito presidente em primeiro turno.

O impasse no Parlamento desencadeou uma crise política na Turquia que levou o país a realizar eleições antecipadas em julho. O partido AKP venceu a votação de forma convincente e indicou Gul novamente para o cargo de presidente.

Gul, que não conseguiu os votos suficientes nos primeiros dois turnos de votação no Parlamento, deve ser eleito no terceiro turno, que será realizado nesta terça-feira.

Os militares da Turquia e a elite secular expressaram oposição ao ministro, um muçulmano devoto que, de acordo com os críticos, teria uma pauta islâmica para o governo.

Gul nega a acusação dos adversários e promete permanecer leal à Constituição secular da Turquia.

Fonte: BBC Brasil