As autoridades americanas procuram nesta quarta-feira a mulher que fugiu com o filho de 13 anos para evitar que ele recebesse tratamentos de quimioterapia. O adolescente tem linfoma de Hodgkin, um câncer nos gânglios linfáticos.

Nesta terça-feira (19), o juiz John Rodenberg, do Condado de Brown, em Minnesota, emitiu um mandado de prisão contra a mãe.

Segundo a polícia, Colleen Hauser e o filho, Daniel, deixaram sua casa, no sul de Minnesota, nesta segunda-feira (18), após uma consulta médica e um exame de raio-X –ordenado pela Justiça– nos quais descobriram que o tumor do menino havia aumentado. A família deveria ter ido a uma audiência judicial no dia seguinte.

Os médicos consideram que Daniel tem grandes chances de cura se receber os tratamentos adequados, mas o garoto abandonou a quimioterapia porque os pais preferiram “tratamentos alternativos”, alegando crenças religiosas. Isso levou as autoridades à Justiça. O magistrado que determinou a prisão da mãe considera que os pais são negligentes e que o menino, que tem déficit de aprendizagem e não sabe ler, não compreende que está doente.

Na mesma decisão em que emitiu o mandado de prisão, o juiz determinou que Daniel fique aos cuidados do Conselho Tutelar local e seja encaminhado a um oncologista imediatamente.

O pai de Daniel, Anthony Hauser, diz não saber onde a mulher e o filho estão, mas também não tentou encontrá-los. Ele disse que viu o filho pela última vez na manhã de segunda-feira e que viu a mulher no mesmo dia, à tarde, dizendo que ia sair “por um tempo”. Conforme o pai, a mulher está incomunicável porque deixou o celular em casa.

“Eu conheço muitas pessoas que tiveram câncer, fizeram quimioterapia e voltaram a adoecer. Eles foram à quimioterapia repetidamente e estão todos mortos. Quimioterapia não é á prova de erros”, argumentou o pai.

“É decepcionante. Estamos tentando fazer o que é melhor para esse garoto”, disse James Olson, o advogado do Serviço Social do Condado de Brown.

Os Hausers, que têm oito filhos, são católicos. Embora a Igreja Católica não tenha nenhuma restrição à quimioterapia, eles seguem uma filosofia de “não ferir” da Nemenhah Band, um grupo religioso de Missouri que acredita em métodos de cura natural defendidos por alguns índios americanos.

O grupo Nemenhah foi fundado nos anos 90 por Philip Cloudpiler Landis, que ficou quatro meses na prisão de Idaho por fraude relacionada ao uso de remédios naturais. Laid afirmou ter fundado a crença após ter recebido um diagnóstico de câncer similar ao de Daniel. Ele afirma ter sido curado ao seguir uma dieta.

Fonte: Folha Online