O autônomo Kaiser Paiva Celestino da Silva, que foi expulso anteontem do hospital pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, disse não guardar rancor e por isso perdoa o prefeito.

Evangélico, Kaiser disse que o sentimento negativo só atinge a ele. Constrangido e com vergonha, ele afirmou que não teria falado nada se soubesse que isso ia ter tanta repercussão.

O paulistano encontrou Kassab na inauguração de uma Assistência Médica Ambulatorial (AMA) e protestou contra a Lei Cidade Limpa, que prevê a retirada de toda publicidade externa na capital. Kaiser trabalha há 18 anos como designer gráfico e tem uma pequena oficina no sobrado onde mora, onde fabrica placas de publicidade, faixas, banners, toldos e luminosos.

Ele afirmou que foi ao local para fazer uma consulta com um dentista, e não para protestar, e que se encontrar com o prefeito foi uma coincidência. “Você acha que eu ia manifestar com meu filho junto?”, acrescentou.

Nas eleições de 1998, quando o atual prefeito concorria ao cargo de deputado federal, Kaiser trabalhou para Kassab. Ao site G1, o autônomo disse que fez uma faixa com o nome do prefeito para o comitê de campanha. “Ajudei esse povo e agora eles cospem no prato em que comeram”, disse.

Fonte: clicabrasilia