Depois de acusarem o pastor Virendra Singh, por converter pessoas ao cristianismo e de o espancarem severamente, a igreja dele foi incendiada por 150 ativistas hindus. Naquele momento havia cerca de 500 cristãos no local.

Virendra e sua família foram surpreendidos e atacados pelo grupo no caminho até a igreja, na aldeia de Bhadwadi, de acordo com “Christian Post”.

Os agressores, supostamente filiados ao Vishva Parishad Hindu e ao Rashtriya Swayamsevak Sangh, acompanharam a família até a igreja e atearam fogo contra a congregação.

Bíblias, livros cristãos, instrumentos musicais e outros artigos ficaram completamente destruídos.

“Entre 500 e 600 pessoas estavam presentes na igreja, correram e se apavoraram, enquanto outros choravam. De alguma forma eles conseguiram ajudar os crentes doentes a saírem de lá”, informou ao Conselho Global de Cristãos na Índia (GCIC, sigla em inglês), um grupo defesa de direitos humanos em Bangalore.

Grato pela vida

O pastor Virendra Singh, que tinha viajado no domingo com a esposa Bhavana Singh, 45 anos, e a filha Rushali Singh, 14 anos, contou ao GCIC que estava grato a Deus por salvá-los do ataque que deixou poucas marcas e cicatrizes.

Depois do ataque de domingo, o pastor irá, pela segunda vez, registrar uma queixa contra os ativistas. No dia 7 de setembro, ele chegou a pedir proteção policial porque recebera ameaças de morte dos mesmos ativistas.

Fonte: Portas Abertas