Justiça condena falso missionário à prisão por pelo crime de posse sexual mediante fraude, em Joinville.

Um homem que dizia ser missionário de uma igreja foi condenado a mais de quatro anos de prisão pelo crime de posse sexual mediante fraude envolvendo três mulheres, em Joinville. O crime aconteceu há cerca de um ano e o homem foi levado para o presídio na semana passada.

As vítimas contaram à polícia que o homem entrou na loja onde elas trabalham dizendo ser missionário de uma igreja evangélica do Chile. Ele teria conquistado a confiança das vítimas adivinhando detalhes da vida delas.

“O acusado disse que o namorado de uma delas tinha olhos verdes e que outra estava passando por problemas no casamento”, conta o juiz Paulo Marcos de Farias, que condenou o réu na 4ª Vara Criminal de Joinville.

Em depoimento, as três mulheres afirmaram que o suposto missionário teria feito perguntas íntimas para todas. Em outro momento, quando estava com duas mulheres nos fundos da loja, pediu a uma delas que tirasse a roupa. A denúncia afirma que o suspeito prometeu curar a mulher de um problema ginecológico enquanto a tocava por cerca de três minutos. Antes de ir embora, ele pediu dinheiro para viajar numa missão da igreja.

As vítimas não desconfiaram na hora. Mas suspeitaram que homem poderia ser um farsante procuraram a polícia três dias depois.

[b]Fonte: Clic RBS
[/b]