A Feira do Livro de Frankfurt, na Alemanha, abriu neste sábado suas portas ao público geral, com as já conhecidas aglomerações, sobretudo nos pavilhões das editoras alemãs.

O biólogo britânico Richard Dawkins, autor do best-seller “The God Delusion” (“O Devaneio Deus”, em livre tradução), foi a presença mais notável na editora Bertelsmann. Ele falou sobre seus argumentos contra a religião.

“A religião ensina as pessoas a desligarem o cérebro”, disse Dawkins, sem fazer esforço algum para evitar polêmicas.

“Sem religiosidade, haveria menos razões para a guerra”, acrescentou.

O sucesso de vendas de Dawkins tem a ver sem dúvida com o interesse que o fenômeno religioso desperta.

Paradoxalmente, a Feira destacou a chegada da Verlag der Weltreligionen (“Editora das Religiões Mundiais”), selo da editora Suhrkamp, que acaba de apresentar sua primeira coleção.

O objetivo, segundo a própria editora, é publicar os escritos fundamentais das diversas religiões e apresentar discussões sobre fenômenos religiosos.

A Feira conta também com livros de auto-ajuda e autobiografias.

Durante o fim de semana, os editores alemães permanecem trabalhando e fechando negócios, algo inédito em relação a outros anos.

Olhando para o exterior, os alemães já começaram a busca por autores da Argentina. O país é convidado de honra na feira que acontece em 2010.

“Já temos Cortázar e Borges, mas buscamos também autores novos”, disse Jürgen Dormagen,da Suhrkamp.

Há autores argentinos que já desembarcaram na Alemanha. É o caso de Ricardo Piglia, enquanto outros, como Alan Pauls, virão em breve.

A editora Tropen contratou os direitos de Pauls e é possível que antes de 2010 sejam publicados alguns de seus títulos apresentados neste ano.

Durante este fim de semana, estima-se que cerca de 120.000 pessoas visitem a Feira. O evento dura até 14 de outubro.

Fonte: EFE