A série bíblica “Milagres de Jesus”, com orçamento oficial de R$ 16 milhões, teve seus 18 episódios custeados pelos fiéis da Igreja Universal.

Em dificuldades financeiras, a Record teve de pedir ajuda à Igreja Universal do Reino de Deus para colocar no ar a série bíblica Milagres de Jesus, uma das maiores audiências da emissora. Com orçamento oficial de R$ 16 milhões, a série teve seus 18 episódios custeados pelos fiéis da igreja liderada por Edir Macedo, dono da Record e idealizador do projeto.

Segundo uma alta fonte na emissora, a Igreja Universal teve de aumentar o aporte de dinheiro na Record de R$ 500 milhões para R$ 520 milhões por ano. O acréscimo foi para pagar a produção de Milagres de Jesus, exibida todas as quartas-feiras.

A Record atravessou em 2013 seu pior ano, com a demissão de mais de 2.000 funcionários e cortes na produção de teledramaturgia. No ano passado, a emissora faturou no mercado publicitário R$ 1,280 bilhão. Com o dinheiro da igreja, chegou a R$ 1,8 bilhão. As afiliadas faturaram mais R$ 400 milhões. Ou seja, a igreja é responsável por 24% das receitas de todas as 106 emissoras da rede Record.

A Igreja Universal do Reino de Deus colocava dinheiro na Record de forma legal, comprando a madrugada da emissora. Agora, também financia a produção de programas de seu interesse, como o Escola do Amor, apresentado por Cristiane Cardoso, filha de Edir Macedo, e séries bíblicas.

O financiamento de uma série de dramaturgia compromete o discurso da Record de que a igreja é um cliente “como outro qualquer”. A igreja é mais do que apenas uma compradora de horários. É “sócia” da programação.

Procurada desde a última sexta-feira, a Record não se pronunciou.

[b]Fonte: Notícias da TV – UOL[/b]