José Mojica, o intérprete do Zé do Caixão, levou a internet à loucura nesta segunda-feira (30) [url=http://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=33336]ao aparecer em um culto evangélico[/url]. Apesar das conclusões de que o ator teria se convertido, a filha, Liz Vamp, esclareceu que o pai apenas visitou a igreja.

[img align=left width=300]http://extra.globo.com/incoming/20854274-a7c-e37/w448/ze-do-caixao-filha.jpg[/img]“O meu pai não se converteu. Ele continua sendo o mesmo Mojica de sempre, e o personagem Zé do Caixão continua na ativa, não morreu. Quem esteve no culto foi o Mojica, acompanhando a mulher dele. Meu pai estava apenas visitando a igreja. Pode ser que ele vá uma vez ou outra, afinal de contas, eles estão juntos”, disse ao jornal Extra.

Liz explica que a mulher do pai, Nilce, de 70 anos, é evangélica e ele apenas a acompanhou no culto.

“Ela é que é convertida há mais de 20 anos. É evangélica e passou a frequentar essa igreja há menos de um ano, depois de se decepcionar com várias outras igrejas. É claro que o sonho dela é que meu pai se convertesse. Mas ele, simplesmente, esteve a acompanhando como marido”, conta.

Mojica também não gostou da repercussão da foto, segundo Liz.

“Meu pai achou um absurdo, um exagero. Ele só esteve lá visitando. O Zé do Caixão, personagem, não acredita em nada, nem em Deus, nem no Diabo. Já o Mojica é católico não praticante. Então, ele achou um absurdo essa divulgação da foto dele na igreja. Para ele, foi uma atitude precipitada, empolgada. Primeiro, que não era o Zé do Caixão, mas, sim, o Mojica acompanhando a pessoa. Ele só gostaria que não tivesse tantas reações exageradas quando quisesse conhecer alguma religião”, revelou a filha à publicação, que garantiu que o pai foi bem tratado pelos fiéis.

[b]Infarto[/b]

Por orientação médica, José Mojica, o Zé do Caixão, tem recusado pedido de entrevistas. É que o ator de 80 anos ainda carrega as sequelas dos infartos que sofreu em 2014 e sofre de perda de memória, segundo contou a filha dele, a atriz Liz Martins.

“Meu pai chegou a morrer duas vezes e a ressuscitar. Agora, finalmente, o quadro dele se estabilizou, mas os médicos o aconselharam a não dar entrevistas por enquanto, porque ele tem algumas falhas de memória”, conta. “A gente começou a questionar neurologistas e psiquiatrias que disseram que ele está bem e lúcido, mas não para enfrentar os jornalistas, já que ele pode se sentir incompetente em não responder algumas perguntas e gerar um mal-estar”.

[b]Fonte: Extra e Observatório da Televisão[/b]