Milhões de crianças subnutridas da Índia encontram-se mais sujeitas a adquirir doenças depois das piores enchentes dos últimos anos que tomaram o sul da Ásia, afirmaram autoridades e grupos humanitários na quarta-feira, dia em que pediram o envio urgente de ajuda.

Centenas de funcionários do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) mobilizaram-se para imunizar crianças e fornecer-lhes fluídos de reidratação no empobrecido Estado de Bihar (leste), onde milhões de pessoas buscaram refúgio em terrenos altos ou vivem em abrigos precários montados ao longo das estradas.

Essas vítimas das enchentes estão expostas ao calor tórrido, às tempestades repentinas e a péssimas condições de vida, o que as transformam em alvo fácil de doenças. Centenas de crianças já sofrem de diarréia, afirmaram relatórios.

A mais recente temporada da chuva de monções, que começou cerca de três semanas atrás, vem sendo considerada a pior já ocorrida em alguns pontos de Bihar. As águas atingiram 30 milhões de pessoas em toda a Índia, 10 milhões delas de Bihar.

Na quarta-feira, novas enchentes apareceram nos Estados de Orissa (leste) e de Gujarat (oeste), onde seis pessoas morreram após as chuvas fortes dos últimos dois dias, disseram autoridades.

Outros 20 milhões de moradores de Bangladesh, país vizinho, deparam-se com alagamentos que cobriram mais de metade do território nacional, de baixa altitude.

Ban Ki-moon, secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), afirmou em um comunicado estar preocupado com a “devastação econômica” a ser enfrentada pelas vítimas das enchentes. Mas elogiou o que descreveu como sendo uma resposta “rápida e eficiente” dos órgãos de ajuda.

Cerca de 545 pessoas foram mortas nas enchentes, incluindo 192 em Bangladesh, que registrou outras 28 mortes na quarta-feira, a maior parte delas provocadas por afogamento, doenças e picadas de cobra.

Mais de 50 mil pessoas sofrem de diarréia nas áreas alagadas de Bangladesh e muitas mais estão doentes devido à ingestão de água contaminada, disseram as autoridades.

Membros do governo indiano afirmaram que dar assistência a milhões de crianças atingidas pelas enchentes revelava-se uma tarefa difícil já que centenas dos centros de saúde básica — o primeiro estágio da rede de saúde pública do país — encontravam-se tomados pelas águas.

Segundo o Unicef, milhões podem contrair malária, dengue e outras doenças se as autoridades, dentro dos próximos dias, não levarem alimentos e remédios para os que estão isolados.

Fonte: Reuters