Neste final de semana foi realizado no Rio de Janeiro (RJ), o Viradão Carioca. Uma das atrações foi Daniela Mercury na noite de sábado.

Em sua participação, ela manifestou sua opinião contrária ao deputado Marco Feliciano à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM). São seis palcos espalhados pela capital e região metropolitana, 50 horas de shows gratuitos e público estimado em 300 mil pessoas. O evento encerra na noite de domingo.

A baiana Daniela Mercury se apresentou no Palco Madureira, que estava localizado na Zona Norte do Rio. Um dos pontos fortes da noite foi a interpretação da música ‘Canto da Cidade’. A cantora subiu ao palco aproximadamente 21h30, segundo informou o G1.

“Salve o amor, a liberdade e os direitos humanos”, com essa frase, Daniela deu início ao seu show. Já a atriz e humorista Fabiana Karla, declarou um convocação ao amor e respeito ao abrir a apresentação da cantora. “Estamos passando por um momento onde todos têm que se amar e se respeitar”, disse Fabiana.

Durante o show, ela fez mais declarações sobre a polêmica do deputado Feliciano e da Comissão de Direitos Humanos. “Fora, Feliciano. Esse país não merece um deputado como esse”, acrescentou.

“Ele mostra preconceito contra os negros. O que é isso? Mais de 50% desse país é negro”, gritou a cantora ao finalizar seu show falando um palavrão em seguida, segundo informou o portal Terra. “Se tem algum diabo aqui, é ele”, complementou.

Outros artistas também fizeram manifestações contrárias a Feliciano em seus shows. Nomes como Dinho Ouro Preto, da banda Capital Inicial. “Eu me sinto maltratada. Me sinto um pouco renegada. Cadê os direitos humanos? Somos negros. Somos gays”, declarou Elza Soares durante uma apresentação em março.

No dia 03 de abril, Daniela Mercury assumiu seu relacionamento gay com uma jornalista nas redes sociais. No mesmo dia, a cantora divulgou uma nota oficial sobre o caso e criticando o deputado Marco Feliciano.

“É uma postura afirmativa da minha liberdade e uma forma de mostrar minha visão de mundo. Numa época em que temos um Feliciano desrespeitando os direitos humanos, grito o meu amor aos sete ventos. Quem sabe haja ainda alguma lucidez no Congresso Brasileiro!”, informava a nota.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]