O documentarista e ativista político de esquerda Michael Moore, de “Fahrenheit 911”, meteu os pés pelas mãos –de novo. Fez piada com o Furacão Gustav, ao dizer que a chegada do fenômeno meteorológico no mesmo dia do começo da Convenção Republicana “é prova de que Deus existe”.

Com a reação negativa à piada de mau gosto, ele esclareceu os comentários em uma “carta aberta a Deus”, que postou em seu blog –a graça tem a mesma qualidade do comentário.

O problema é que não está sozinho. O ex-presidente do Partido Democrata, Don Fowler, havia dito antes que o “timing do furacão só demonstra que Deus está do nosso lado”. O vídeo foi parar no YouTube, e o político se desculpou.

A prática de falar borracha, como se dizia lá em Interlagos, não é privilégio da esquerda norte-americana. Logo depois de 11 de Setembro, o reverendo de ultradireita Jerry Falwell disse que era o ataque um castigo divino às pessoas que fazem abortos e aos homossexuais.

Fonte: Blog do Sérgio Dávila