Goleiro egípcio Mohamed El-Shenawy, na Copa do Mundo 2018
Goleiro egípcio Mohamed El-Shenawy, na Copa do Mundo 2018

O goleiro egípcio Mohamed El-Shenawy, eleito o melhor em campo na partida contra o Uruguai, rejeitou o troféu de “homem do jogo”, na sexta-feira logo após o jogo.

A rejeição ocorreu porque o prêmio é oferecido por uma marca de cerveja, e o álcool não é aceito na religião muçulmana.

Após o jogo, El-Shenawy foi visto levantando a mão para desprezar o presente – provocando uma espécie de debate.

O registro foi feito pelo empresário Marwan Ahmed e publicada no seu Twitter, logo após o confronto.

El-Shenawy, de 29 anos, é jogador do Al-Ahly e foi essencial no duelo contra o Uruguai, apesar de o time ter perdido por 1 a 0, com um gol de Gimenez, aos 44 minutos do segundo tempo.

O caso não deve ser o único na Copa do Mundo já que, além do Egito, as seleções do Senegal, Tunísia, Irã e Arábia Saudita também têm o islamismo como religião principal.