O governo do Uzbequistão lançou uma campanha de relações públicas, afirmando que o país assegura liberdade religiosa.

A medida sucede à designação do Uzbequistão como um “País de Preocupação Específica” (CPC, sigla em inglês) pelo Departamento de Estado dos EUA em novembro de 2006.

O Uzbequistão fica na Ásia Central, ao norte do Afeganistão.

Segundo uma nota da organização de direitos humanos Christian Solidarity Worldwide (CSW), o Uzbequistão intensificou sua opressão à liberdade religiosa em 2005. O movimento anti-protestante e anti-Testemunha de Jeová tem visto as restrições aumentarem, incluindo inspeções em todas as comunidades religiosas, investigações religiosas nas escolas, ataques policiais, fechamento e destruição de igrejas e mesquitas e a expulsão de estrangeiros ligados a comunidades religiosas.

O islamismo, o maior grupo religioso, também está sofrendo. Citada pelo CSW, a agência de notícias Forum 18 relatou que as autoridades na região de Andijan, fortemente muçulmana, criaram uma nova restrição ao chamado muçulmano para a oração, feito nas mesquitas. Outra corte ordenou que a literatura cristã fosse confiscada e queimada, e o Comitê de Assuntos Religiosos proibiu Testemunhas de Jeová de importar Bíblias.

Assim que o Uzbequistão foi designado um CPC, o Forum 18 relatou que o governo uzbeque alegou que uma enquête não-governamental descobriu que apenas 3,9% dos entrevistados se sentiam religiosamente oprimidos. A agência que fez a enquête era financiada pelo governo.

Problema encoberto

Depois da enquête foi transmitido um programa pela TV chamado “Hipócritas”, que disseminava sentimentos anti-protestantes e anti-Testemunha de Jeová. O Forum 18 relatou que o programa acusava esses grupos de promover a dependência química, de transformar os convertidos em zumbis e de tentar promover conflitos entre pessoas de diferentes religiões. Isso também implicava que há uma ligação entre a liberdade religiosa e o extremismo religioso e a violência.

A campanha de relações públicas também é utilizada fora do Uzbequistão. Segundo a CSW, o governo uzbeque patrocina reuniões em Bruxelas e em Londres. A Embaixada uzbeque no Reino Unido está organizando um seminário com o Fórum das Três Religiões sobre a experiência do Uzbequistão em alcançar a harmonia inter-religiosa.

O diretor nacional da CSW, Stuart Windsor, disse em uma reportagem: “O governo uzbeque tem um registro terrível em relação à liberdade religiosa, o que o levou a receber a designação de “País de Preocupação Específica’ conferida pelo departamento de Estado dos EUA. Infelizmente, o governo escolheu responder a essa designação encobrindo o problema em vez de tratá-lo em sua fonte. Pedimos que a comunidade internacional olhe por trás dessa fachada e tome medidas que assegurem os padrões internacionais de liberdade religiosa”.

Fonte: Portas Aberta