Milhares de pessoas saíram às ruas de Ancara para se manifestar contra a autorização do uso do véu islâmico nas universidades.

“A Turquia é laica e continuará sendo laica”, gritavam os manifestantes, que se reuniram no centro da cidade durante a votação no parlamento de uma emenda constitucional relativa ao uso do véu. A polícia calculou o número de manifestantes em cem mil pessoas.

De um total de 550 deputados, 403 votaram a favor da emenda, que declara que “ninguém pode ser privado de seu direito à educação superior”, em referência às jovens turcas que usam o véu islâmico.

Os deputados turcos já haviam provado na madrugada de quinta-feira a polêmica revisão constitucional.

A segunda votação estava prevista para este sábado, para concluir a revisão proposta pelo governista Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP, de raízes islâmicas) e pelo partido da oposição nacionalista MHP.

O projeto provocou um forte movimento de resistência dos meios laicos turcos, assim como da oposição social-democrata, que afirmam que tal medida corrói os princípios laicos da Constituição da Turquia, país majoritariamente muçulmano, e que pode levar as mulheres com véu a exercer funções públicas e freqüentar escolas, o que no momento é estritamente proibido.

Há uma semana, milhares de manifestantes também se concentraram em Ancara, em frente ao mausoléu do fundador da República turca, Mustafá Kemal Ataturk, para protestar contra o projeto.

“A Turquia é laica, e assim continuará” e “Somos todos soldados de Ataturk”, eram alguns dos slogans repetidos pelos manifestantes – mais de 30.000 segundo as autoridades militares responsáveis pela segurança do mausoléu.

A manifestação foi convocada por cerca de trinta associações, entre elas várias entidades feministas.

O AKP entende que a proibição do véu islâmico na universidade prejudica a liberdade de consciência e o direito à educação das jovens que são recusadas na universidade por usar o véu.

Fonte: AFP