A Arquidiocese alemã de Munique -que entre 1977 e 1982 foi presidida pelo hoje papa Bento 16- é alvo de denúncias de abuso de menores por membros da igreja.

Em um deles, um padre foi transferido em 1980 para trabalhar com crianças em Munique, mesmo sendo suspeito por abusos na cidade de Essen.

O sacerdote foi submetido a sessões de terapia, endossadas por Bento 16 -então cardeal Joseph Ratzinger. Segundo a arquidiocese, o posterior retorno do padre às atividades com jovens foi responsabilidade de um auxiliar.

Outros casos têm sido registrados em países europeus, como na Irlanda.

Nos EUA, depois de molestar cerca de 200 meninos surdos ao longo de 20 anos, o padre Lawrence Murphy foi poupado de um julgamento canônico pelo Vaticano, depois que bispos do Estado americano de Wisconsin tiveram suas correspondências ao então cardeal Ratzinger ignoradas.

No Brasil, a CPI da Pedofilia investiga suposto crime sexual cometido pelo padre José Afonso Dé, 74. Já em Arapiraca, o monsenhor Luiz Marques Barbosa, 82, é acusado de abusar de crianças e adolescentes.

Fonte: Folha de São Paulo