A comissão jurídica da Igreja Católica holandesa quer indenizar as vítimas de abuso sexual com valores até R$ 228 mil.

A comissão jurídica independente criada para investigar os casos de abuso sexual na Igreja Católica holandesa propôs nesta segunda-feira que as vítimas sejam indenizadas com valores de 5.000 (cerca de R$ 11.500) a 100 mil euros (cerca de R$ 228 mil).

Os valores seguiriam cinco categorias de gravidade dos abusos, estipuladas pela própria comissão, encarregada de estudar indenizações e os processos jurídicos por abusos contra padres.

“Com este procedimento esperamos que as vítimas possam receber uma compensação financeira de maneira rápida, evitando na medida do possível as complicações jurídicas”, disse, em comunicado, o catedrático de Direito Privado da Universidade de Rotterdã e diretor da comissão, Siewert Lindenberg.

A Conferência Episcopal holandesa, que encarregou a comissão de avaliar as indenizações, anunciou nesta segunda-feira que “estudará” as conclusões e ressaltou que “os direitos das vítimas são prioritários”.

Desde março de 2010, outra comissão independente investiga os supostos abusos sexuais por parte de religiosos na Igreja Católica. Foram cerca de 2.000 denúncias até o momento.

A comissão que estuda estes casos, dirigida pelo ex-ministro Wim Deetman, um protestante, espera apresentar resultados no fim do ano.

A comissão Deetman, formada por especialistas independentes, investiga os abusos cometidos na Holanda desde 1945 até os dias atuais.

[b]Fonte: Folha Online[/b]