O texto entregue também fala sobre o consumismo e ações para a preservação do meio ambiente.

A Igreja Metodista do Brasil enviou uma nota dizendo que se preocupa com o Projeto de Lei 122/2006 que está em tramitação no Senado Federal.

Os metodistas afirmam que respeitam a liberdade de expressão, mas que esse PL fere a Constituição do país favorecendo uma minoria em detrimento da grande maioria do povo brasileiro.

O documento foi entregue no dia 21 de maio para a Assembléia Legislativa de São Paulo reforçando o compromisso da Igreja Metodista do Brasil, baseada no mandato deixado pelo seu fundador, John Wesley, de “reformar a nação, de modo particular a Igreja, e espalhar a santidade bíblica sobre toda a terra”.

O texto também fala sobre o consumismo. “Preocupa-nos uma ‘política’ que estimula o ‘consumismo’ sob todas as formas como um meio de desenvolvimento econômico, levando uma multidão de concidadãos a dívidas impagáveis, em especial pela cobrança indevida de altos juros nas transações efetuadas.”

Outro assunto abordado pela Metodista foi a campanha do desarmamento, sobre isso foi escrito que eles sentem a falta de uma ação mais efetiva contra todas as formas de violência presentes no tecido social.

Os metodistas também disseram que sentem falta de ações voltadas à preservação do meio ambiente e da formação educativa de crianças e jovens na defesa de mananciais, matas, rios, florestas.

No dia que esse documento foi entregue as igrejas de tradição wesleyana – Exército da Salvação, Holiness, Metodista, Metodista Livre, Metodista Wesleyana e do Nazareno – reuniram fiéis no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, para mostrarem um testemunho da sua unidade em Cristo e do compromisso de reformar a nação.

Cerca de 700 pessoas participaram de caminhada ecológica do Ibirapuera, no sábado. Ao final do trajeto, foi plantado no Parque um arbusto, que recebeu o nome de Árvore Wesleyana.

[b]Fonte: Gospel Prime
[/b]