templo de uma Igreja UniversalA Igreja Universal do Reino de Deus terá de pagar uma pensão mensal equivalente a 60% do salário mínimo e uma reparação por dano moral no valor de R$ 10 mil para uma doceira que durante uma sessão de exorcismo sofreu uma lesão permanente no punho.

A decisão é dos ministros da 3ª. Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

De acordo com informações divulgadas pelo STJ, Marina Dias da Silva entrou com uma ação de indenização contra a Universal alegando que, durante um culto, um pastor teria dito que ela estava “possuída pelo demônio”.

Na sessão de exorcismo, pastor teria feito movimentos bruscos, levando-a a cair. Em conseqüência da queda, Marina fraturou o punho da mão esquerda.

Mesmo diante das dores o pastor teria continuado a sessão, alegando que elas decorriam da permanência do demônio no corpo da doceira. Ele também teria batido a mão dela contra a cruz do altar, o que teria agravado a fratura e causado a lesão permanente.

Por causa do problema, Marina alegou que não pode mais trabalhar como doceira. Com isso, disse que teve prejuízos materiais consideráveis.

A Igreja Universal defendeu-se argumentando que a queda de Marina não teve relação com a sessão de exorcismo. Também sustentou que não ficaram comprovados os danos.

Fonte: Paraná Online