Sob a alegação de que “estava muito perigoso” manter os cultos em virtude da longa espera pelo registro oficial, a Igreja Pentecostal da Ressurreição e do Evangelho Pleno, em Fergana, na cidade de Andijan, decidiu fechar as portas.

“Temos passado por muita pressão, especialmente este ano, tanto por parte dos líderes quanto por parte da população urbana e de seu promotor público”, disse o pastor Bakhtier Tuichiev, responsável pela igreja, ao Forum 18.

“Por isso eu e os outros líderes decidimos parar com as atividades há dois meses”, explicou.

“É muito doloroso falar sobre todas as ameaças de insultos que temos enfrentado”, disse o pastor. Desde dezembro último, Bakhtier está sendo constantemente monitorado pela polícia.

Outros cristãos protestantes ativos estão sendo impedidos de deixarem o país.

Membros de outra congregação do Evangelho Pleno em Andijan foram condenados a pagarem uma multa por “supostas atividades ilegais” e tiveram seus recursos rejeitados.

O pastor deles, Dmitry Shestakov, foi condenado a passar quatro anos em um campo de trabalhos forçados por causa da fé cristã.

O pastor Bakhtier Tuichiev disse que oficiais locais estão sendo liderados em uma perseguição contra os cristãos e muçulmanos, promovida pelo promotor público Ahmedov, da polícia nacional de segurança.

A igreja do pastor Bakhtier tentava obter, em vão, a autorização de funcionamento desde 2002. “Eles nunca explicaram os motivos para não nos registrarem”, disse o líder.

Fonte: Portas Abertas