A Conferência Episcopal da Venezuela pediu, nesta sexta-feira, o fim da violência nas mobilizações contra a reforma constitucional apresentada pelo governo, que vem recebendo duras críticas de diversos setores, principalmente de grupos estudantis.

“É preciso evitar os enfrentamentos violentos entre os venezuelanos”, afirma o comunicado, dois dias após os incidentes na Universidade Central da Venezuela (UCV) que deixaram nove feridos, três por ferimentos a bala.

A presidência da Conferência Episcopal pediu “em particular aos poderes nacionais e aos dirigentes sociais, políticos e estudantis, todo o empenho para atuar com seriedade e com espírito democrático”.

“Ninguém tem o direito de agredir, desqualificar ou ofender quem não compartilha da mesma opinião”, afirmaram os arcebispos de Maracaibo, Ublado Santana, de Coro, Roberto Lückert, o cardeal Jorge Urosa, arcebispo de Caracas e o bispo de Puerto Cabello, Ramón Viloria.

Fonte: AFP