O lançamento do II Fórum Social Nordestino, realizado no início de junho pelo Comitê Pernambucano e por entidades populares, celebra o processo de preparação do evento que vai acontecer de 2 a 5 de agosto, em Salvador, na Bahia, com o objetivo de “construir uma agenda em comum dos movimentos sociais populares e organizações não governamentais”, com “estratégias para as lutas sociais no intuito de colocar também o nordeste na agenda política e social do país”.

O Fórum Social Nordestino “é um espaço de debates democrático e plural voltado para reflexão, debate de idéias, formulação de proposições, livre troca de experiências e a articulação para ações coletivas de organizações e movimentos da sociedade civil que se opõem a todas as formas de opressão, aos fundamentalismos, ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital e por qualquer forma de imperialismo”.

Segundo organizadores, “o Fórum propugnará pelo respeito aos Direitos Humanos, pela prática democrática participativa, por relações igualitárias, solidárias e pacíficas entre pessoas, etnias, gêneros e povos, pelo respeito e conservação do meio-ambiente, condenando as formas de dominação assim como a sujeição de um ser humano a outro”.

Fonte: Agência Soma