Relatório sobre intolerância religiosa divulgado pela Fundação para a Análise e Estudos Sociais (FAES) revelou que mais de 20 cristãos morrem diariamente vítimas de perseguição por outros grupos religiosos

O número de mártires do Evangelho chega a quase um por hora, segundo o pesquisador Javier Rupérez, membro da Real Academia de Ciências Morais e Políticas e autor do estudo “A perseguição aos cristãos no século XXI”.

“Os cristãos no mundo, mais do que qualquer outra comunidade religiosa, constituem hoje um grupo perseguido e ameaçado, com urgência na necessidade de proteção e assistência”, afirmou o pesquisador.

O levantamento foi feito a partir da análise de inúmeros artigos, estudos e outras avaliações a respeito de eventos noticiados pela mídia de todo o planeta.

Segundo Javier, os casos que aparecem na mídia são apenas a ponta do iceberg: “Eles não são nada. Particularmente, são amostras violentas de uma tendência conhecida e multiplicada por todo o período contemporâneo e não podem ser entendidas como eventos isolados e, portanto, insignificantes”, lamenta o estudioso.

Há ainda, de acordo com o estudo, que se acrescentar os casos de perseguição religiosa em países ou regimes “que tem o ateísmo como estado de crença e a perseguição religiosa como padrão” à lista, como é o caso da Coreia do Norte.

Em sua análise, Javier Rupérez informa que o número de cristãos mortos nos últimos 10 anos chega a 100 mil. O relatório traz ainda outros dados a respeito da perseguição religiosa no mundo, e destaca que 75% da população mundial sofre alguma restrição ao exercício da liberdade religiosa.

“A perseguição em curso contra os cristãos tem diversas fontes de inspiração e diferentes níveis de insanidade, alguns dos quais estão diretamente relacionados com o plano criminoso para apagar os traços do cristianismo da face da Terra”, disse, de acordo com informações do site Acontecer Cristiano.

[b]Fonte: Gospel+[/b]