A rede terrorista Al-Qaeda recruta crianças e jovens para praticar atentados contra a Grã-Bretanha, advertiu na segunda-feira (dia 5) Jonathan Evans, responsável pelo MI5, o serviço de inteligência britânico.

“Enquanto falo, terroristas recrutam de forma metódica e específica pessoas jovens e crianças daquele país”, alertou Evans, em sua primeira intervenção pública desde que foi nomeado diretor do MI5, em abril passado.

Os terroristas “estão radicalizando, doutrinando e atraindo os jovens e os mais vulneráveis para que pratiquem ações terroristas”, garantiu.

“Este ano vimos indivíduos de apenas 15 ou 16 anos envolvidos em atividades vinculadas ao terrorismo”, acrescentou Evans numa conferência em Manchester para os chefes de redação dos grandes jornais britânicos.

Advertiu também que seu serviço combate “a ameaça mais imediata e grave” em 98 anos, desde que foi criado.

“Os ataques terroristas a que assistimos contra o Reino Unido não são simplesmente conspirações casuais de grupos fragmentados e sem propósito”, afirmou.

Investigações

Ele detalhou que o número de pessoas identificadas com possíveis “vínculos com atividades terroristas” aumentou de 1.600 no ano passado para, pelo menos, 2.000 neste ano.

“A maior parte desses ataques – os que tiveram êxito e os que não tiveram – ocorreram porque a Al-Qaeda possui uma clara determinação de organizar atentados terroristas contra o Reino Unido”, insistiu Evans, acrescentando que não há sinais de que os planos para atacar o país vão diminuir.

O chefe da contra-espionagem britânica afirmou que nos últimos cinco anos, os ataques terroristas contra a Grã-Bretanha foram planejados principalmente nas zonas tribais do Paquistão.

Entretanto, esses planos têm sido planejados, atualmente, em regiões mais distintas, indo do Iraque ao oeste da África, indicou.

Evans citou particularmente a Somália, que possuiria, segundo ele, centros de treinamento e planejamento de atividades terroristas contra a Grã-Bretanha.

Ele concluiu fazendo um apelo a “um esforço coletivo” para combater a ameaça terrorista. “Esse é um conflito em que o Governo, as comunidades religiosas e a sociedade civil têm um papel importante”.

Interceda contra essa situação e em favor daqueles que trabalham expandindo o cristianismo em países como o Paquistão, Afeganistão, Somália e Colômbia, entre outros. A Portas Abertas possui programas de treinamento e realiza acampamentos específicos, a fim de tirar crianças e jovens da cooptação de guerrilheiros e facções religiosas extremistas. Ore por esse ministério.

Fonte: Portas Abertas