Dois jovens de origem árabe-israelense foram detidos ontem pela polícia em Jerusalém com panfletos que convidavam a população a um boicote contra o papa Bento XVI, que visitará Israel e os Territórios Palestinos a partir de segunda-feira.

Segundo informou uma fonte policial local, os dois foram interrogados e todos os papéis — cerca de 100 panfletos — foram confiscados. Uma das hipóteses da polícia é de que a estratégia teria sido planejada por algum grupo islâmico radical, mas não há informações sobre supostos mentores do boicote.

O Papa, que iniciou sua viagem apostólica à Terra Santa na Jordânia na última sexta-feira, chegará a Israel na segunda-feira, dia 11. Neste dia, o Papa se reunirá com o presidente Shimon Peres, visitará o Memorial do Holocausto de Yad Vashem e se encontrará com as organizações para o diálogo inter-religioso.

Para terça-feira (12) estão marcadas visitas à Cúpula da Rocha (local conhecido também como Mesquita de Omar ou Domo da Rocha), ao Grão-Mufti, ao Muro Ocidental, aos dois grandes Rabinos de Jerusalém e à co-Catedral dos Latinos.

O Papa também fará três discursos no dia e realizará uma missa na Josafat Valley. Na quarta-feira (13), ele viaja a Belém, onde será recebido no Palácio Presidencial, realizará uma missa na Praça da Manjedoura, se encontrará com os Ordinários da Terra Santa, com a comunidade dos Franciscanos e com o Séqüito Papal, além de realizar visitas a diversos locais, como a Gruta da Natividade, o hospital Caritas Baby e o campo de refugiados de Aida.

Em Nazaré, onde chegará na quinta-feira (14), o Papa realizará uma missa no Monte do Precipício, almoçará com a Comunidade Franciscana e o Séquito Papal, se reunirá com o primeiro-ministro de Israel, Benyamin Netanyahu, fará uma saudação aos Chefes Religiosos da Galiléia, visitará a Gruta da Anunciação, local onde o anjo Gabriel teria anunciado à Virgem Maria que ela seria a mãe de Jesus, e realizará uma celebração das Vésperas.

Na sexta-feira, antes de retornar ao Vaticano, o Papa celebrará uma missa, participará de um encontro ecumênico e visitará o Santo Sepulcro, onde Cristo foi crucificado, e a Igreja Patriarcal Armênia Apostólica de São Tiago.

Fonte: Ansa