A Justiça extinguiu mais cinco ações movidas por seguidores da Igreja Universal do Reino de Deus contra a Folha e a jornalista Elvira Lobato, autora da reportagem “Universal chega aos 30 anos com império empresarial”, publicada em dezembro.

Já foram ajuizadas 101 ações de indenização por danos morais e proferidas 57 sentenças, todas favoráveis ao jornal.

A juíza Cristiane da Silva Brandão Lima, do Juizado Especial Cível de Niterói (RJ), extinguiu ação movida por Rosa Maria Soares, homologando decisão da juíza leiga Gisella Maria Quesma Leitão.

O juiz Paulo Pereira da Silva Evangelista, da comarca de Santarém (PA), extinguiu ação movida pelo pastor Jorge Luís de Brito Cabral, condenando-o a pagar as custas processuais e multando-o por litigância de má-fé [abuso do direito de recorrer à Justiça]. Em Recife, foi extinta ação movida por Ivanildo Julião da Silva contra a Folha e a Rede Globo de Televisão. Silva foi condenado ao pagamento das custas processuais.

Na comarca de Pedro Canário (ES), o juiz Deodato Vital dos Anjos extinguiu ação movida por Paulo Valério Coelho de Lima por não considerá-lo parte legítima para pedir a indenização por danos morais. O juiz Carlos Barbosa Dias, de Parnaíba (PI), julgou extinta ação movida por Leandro Pereira da Silva.

Fonte: Folha Online