Decisão foi por unanimidade de votos, nesta quarta-feira (16). Segundo MP-ES, cúpula de igreja integra organização criminosa

O Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES) decidiu manter a denúncia feita pelo Ministério Público Estadual (MP-ES) contra mais de 20 pessoas ligadas à cúpula da Igreja Cristã Maranata. A decisão foi por unanimidade de votos, em sessão ordinária realizada na tarde desta quarta-feira (16). De acordo com o MP-ES, os membros da cúpula da igreja integram uma organização criminosa.

A denúncia do órgão aponta que os investigados se aproveitaram “da imunidade tributária aos templos de qualquer culto para ludibriarem fiéis e devotos mediante variadas fraudes visando desviar numerários oferecidos para finalidades ligadas à Igreja em proveito próprio e de terceiros, pessoas físicas e jurídicas vinculadas à quadrilha”.

Segundo os autos, relatos apontam que doações, dízimo e contribuições oferecidos à Igreja Maranata eram utilizados por determinados membros para investimento em bens e vantagens particulares. Também consta no procedimento investigatório que houve um déficit significativo ao patrimônio da igreja, sendo alcançada a cifra de R$ 24.823.688,19.

Para o relator do Habeas Corpus, desembargador substituto Fernando Estevam Bravin Ruy, “a decisão de recebimento da denúncia encontra-se devidamente fundamentada, com alusão concreta aos fatos narrados na denúncia”.

Até as 10h desta quinta-feira (17), o G1 não havia estabelecido contato com o advogado dos membros da Igreja Cristã Maranata.

[b]Fonte: G1[/b]