Um famoso líder da igreja chinesa foi preso no último dia 31 de agosto por receber três toneladas de Bíblias. Se condenado, ele poderá enfrentar uma pena de até 15 anos de prisão.

De acordo com a Associação Cristã de Ajuda à China (CAA, sigla em inglês) Zhou Heng é gerente de uma livraria registrada chamada Yayi Christian onde livros cristãos são vendidos de forma legal e oficial dentro da China.

A prisão de Zhou Heng foi aprovada pelo Procurador do distrito de Shayibake, da cidade de Urumqi, no dia 31 de agosto.

Uma cópia da notificação obtida pela CAA diz que Zhou Heng foi acusado de operação de negócio ilegal. O cristão está atualmente detido no Centro de Detenção de Xishan.

Ele foi encarcerado no dia 3 de agosto ao receber três toneladas de Bíblias em uma rodoviária. As Bíblias foram doadas por igrejas sul-coreanas para serem distribuídas gratuitamente aos crentes locais.

A notificação foi enviada à esposa dele, Chen Jihong, por um oficial da Agência de Segurança Pública Municipal de Urumqi.

Segundo a CAA, o governo chinês só permite que igrejas oficialmente registradas imprimam e distribuam um número limitado de Bíblias a cada ano.

Investigadores de CAA falaram com um homem que compartilhou da cela com irmão Zhou e que recentemente foi solto.

Ele contou que o irmão Zhou era severamente espancado na prisão por outros ocupantes de cela e também pelos guardas da prisão.

A CAA está ajudando o trabalho de defesa legal para o caso do irmão Zhou. Um famoso advogado de defesa de direitos humanos cristão, Zhang Xingshui , concordou em representar e defender Zhou Heng no tribunal.

Outros líderes soltos

Além disso, de acordo com fontes da CAA, foram soltos os sete líderes de igrejas domésticas que estavam detidos desde 21 de agosto em uma casa na Mongólia Interior.

Quatro pastores da província de Liaoning, inclusive o pastor QIN Tao (29 anos), Wang Cong (34 anos), Wang Shengjun (34 anos), Wang Youjun (47 anos), junto de outras três mulheres cristãs, haviam sido levados presos durante um culto doméstico na aldeia de Leizhiwa, cidade de Kouhe, Kulun Qi, Mongólia Interior.

Fonte: Portas Abertas