Os progressos esportivos das mulheres iranianas estão criando polêmica no país, sobretudo em vista da Olimpíada de Pequim 2008. A informação é da agência Ansa.

O guia das orações na cidade santa xiita de Mashhad afirmou que a participação delas em competições no exterior difundirá a “corrupção”, porque não serão respeitadas as normas de vestimenta islâmicas (hejab). Mas a organização estatal pelo esporte assegura que não haverá problemas para as idas a competições.

Até agora, as atletas iranianas haviam participado somente de eventos internacionais nos quais fosse assegurada a observância das regras de vestimenta em vigor na República islâmica, que determinam que as mulheres cubram-se dos cabelos aos pés com roupas muito largas que não mostrem suas formas.

Essas regras reduziram sua presença nas Olimpíadas a modalidades como o tiro, mas nos últimos dias a primeira atleta iraniana classificou-se para o torneio olímpico de taekwondo, depois de a seleção feminina de futebol ter conseguido uma vaga no campeonato asiático, programado para o próximo ano, na Malásia.

“A presença de mulheres iranianas em competições no exterior significa contribuir para a corrupção moral”, afirmou o guia das orações de sexta-feira de Mashhad, aiatolá Ahmad Alam Ol Hoda.

Alguns deputados compartilham as preocupações do religioso, mas Abdollah Savar, vice-chefe da organização estatal para o esporte, disse que não haverá problemas para o respeito ao hejab graças a uniformes especialmente desenhados.

Fonte: Terra