Os líderes americanos de várias confissões cristãs, de regresso de uma incomum visita ao Irã (foto da bandeira ao lado), pediram nesta segunda-feira um diálogo entre os dois países no momento em que a tensão entre Washington e Teerã aumenta.

A delegação, formada por 12 líderes metodistas, episcopais, católicos, batistas, evangélicos, quakers e menonitas, homens e mulheres, passou cinco dias no Irã, onde se reuniu com líderes muçulmanos e cristãos, assim como com o presidente Mahmud Ahmadinejad.

“Acreditamos que um diálogo mais profundo é possível”, explicou a delegação americana num comunicado, no qual pediu para os dois países abrirem imediatamente as negociações diretas, deixarem de chamar um ao outro de “inimigo” e fomentarem o contato entre suas sociedades civis.

“O governo iraniano já deu um passo em direção ao povo americano ao convidar nossa delegação para visitar o Irã. Pedimos para o governo americano receber uma delegação similar de responsáveis religiosos iranianos”, diz o comunicado.

Fonte: AFP