[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×500/smart/media.guiame.com.br/archives/2017/01/20/496823924-trump-juramento.jpg[/img]

Diante de cerca de 800 mil pessoas, Donald Trump toma posse da presidência dos Estados Unidos na tarde desta sexta-feira (20), no Capitólio de Washington, sede do Congresso norte-americano. A cerimônia começou oficialmente às 14h30, no horário de Brasília.

Além da presença de autoridades políticas, como os ex-presidentes Jimmy Carter, Bill Clinton, George W. Bush e Barack Obama, a cerimônia de posse contou com a presença de lideranças religiosas.

Logo após a abertura do evento, o Cardeal Timothy Dolan, arcebispo de Nova York, fez pedidos para que “a sabedoria pudesse trabalhar” com o presidente e o país nos próximos anos. Em seguida, o reverendo Samuel Rodriguez, da Conferência Nacional da Liderança Hispano-Cristã, fez uma adaptação do trecho bíblico das “Bem aventuranças”, descrito no Evangelho de Mateus.

“Deus, abençoe aqueles que sentem fome e sede, pois eles serão satisfeitos. Deus, abençoe todos aqueles que trabalham pela paz, pois eles serão chamados filhos de Deus. Deus, abençoe todos aqueles que são perseguidos por fazerem a coisa certa”, disse Rodriguez.

Em seguida, a pastora Paula White-Can, do Centro Cristão New Destiny, fez orações pelo novo governo. “Pedimos que a sabedoria necessária seja passada ao nosso novo presidente para que ele possa liderar nossa nação, unir o povo e representar tudo o que é honrável’, orou a líder.

Em seu juramento, Trump colocou sua mão sobre duas Bíblias. Uma delas é presente de sua mãe e outra foi usada por Abraham Lincoln, durante sua posse em 1861 — usada também por Obama em 2009 e 2013.

Representando a aliança de Trump com Israel, a cerimônia contou com o discurso do rabino Marvin Hier, do Centro Simon Wiesenthal. “Deus Eterno, abençoe o presidente Donald Trump e os Estados Unidos, nossa grande nação. Nos oriente para que nos lembremos das palavras da Bíblia”, disse ele, em oração.

“A riqueza de uma nação vem dos seus valores, e não de seu dinheiro. Que Deus abençoe todos os nossos aliados pelo mundo, que tem a crença. Nós choramos quando eles diziam: se eu esquecer de Jerusalém, que a minha mão direita perca suas habilidades. Aquele que fez tudo isso, nunca fraquejará. Que venha o dia quando a justiça perdurará”, acrescentou.

[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×500/smart/media.guiame.com.br/archives/2017/01/20/2200243694-franklin-graham-na-posse-de-trump.png[/img]Representando o último discurso religioso, o reverendo Franklin Graham, filho do evangelista Billy Graham, recitou sua última mensagem. “Na Bíblia, a chuva é um sinal de bênção de Deus e começou a chover quando o presidente subiu na plataforma. Minha oração é para que Deus abençoe o Senhor, sua família, o seu mandato e os Estados Unidos.

Graham também leu o trecho de 1 Timóteo 2:1-6: “Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranqüila e pacífica, com toda a piedade e dignidade. Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador, que deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade. Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus, o qual se entregou a si mesmo como resgate por todos”.

[b]”Fomos criados pelo mesmo sopro do Todo Poderoso”, diz Trump em discurso de posse[/b]

Seguindo parte da tradição das posses presidenciais, Trump fez o tradicional juramento de posse, com suas mãos sobre uma Bíblia que tem um significado especial em sua vida: um antigo exemplar que ganhou de sua mãe, quando ainda era um adolescente, em 1955.

“Eu, Donald Trump, solenemente juro que vou executar fielmente o cargo de Presidente dos Estados Unidos, e com o melhor de minha capacidade, preservarei, protegerei e defenderei a Constituição dos Estados Unidos. Então, que Deus me ajude”, repetiu Trump em seu juramento.

[img align=right width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/smart/media.guiame.com.br/archives/2017/01/20/2779706002-.jpg[/img]Em seu discurso de posse, intitulado “Quando Deus Escolhe um Líder”, Donald Trump afirmou que as famílias poderão celebrar novamente a retomada da preservação de seus direitos em um novo governo.

“Havia pouco para ser celebrado pelas famílias pelo nosso país. Isso tudo muda, começando aqui e agora. Porque este momento é o momento de vocês, pertence a vocês”, discursou.

“O que realmente importa não é que partido controla o governo, mas se o governo é controlado pelo povo”, diz Trump. “Os homens e mulheres esquecidos de nosso país não serão mais esquecidos. Todos estão ouvindo vocês agora”.

Trump chegou a fazer referência ao Salmo 133, Trump lembrou que este é um momento para que os Estados Unidos realmente não se deixem abalar pelas divisões.

“A Bíblia nos diz como é bom e agradável quando o povo de Deus viva em união. Devemos falar sobre isso abertamente, debater nossos desentendimentos honestamente, mas sempre buscar a solidariedade. Quando a América está unida, ela é totalmente invencível”, afirmou.

“Não deve haver medo. Estamos protegidos e estaremos sempre protegidos. Seremos protegidos pelos grandes homens e mulheres de nossas forças armadas e da aplicação da lei. E o mais importante, Seremos protegidos por Deus”, acrescentou.

O novo presidente dos Estados Unidos também destacou que a desunião e as brigas não trarão crescimento para o país.

“Finalmente, devemos pensar grande e sonhar ainda maior. Na América, entendemos que uma nação só está vivendo enquanto estiver lutando. Não vamos mais aceitar políticos que só conversam e não agem, constantemente reclamando, mas nunca fazendo nada sobre isso.

“Se uma criança nasce na expansão urbana de Detroit ou nas planícies varridas pelo vento de Nebraska, elas olham para o mesmo céu noturno, e têm em seus corações os mesmos sonhos. Fomos todos criados com o sopro do mesmo criador todo-poderoso”, afirmou.

[b]Fonte: Guia-me[/b]