O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu nesta segunda-feira, na abertura da 11ª Conferência Nacional dos Direitos Humanos, o debate sobre o aborto no Brasil.

“Uma das coisas mais ofensivas é o preconceito, o medo de não discutir determinados temas que acabam virando tabu, como o aborto. Não se trata de ser contra ou a favor, mas de discutir de forma franca, pois essa é uma questão de saúde pública”, disse.

Ele afirmou ser pessoalmente contra essa prática, mas observou que o tema não pode ser ignorado, pois há situações como as de “madames que vão fazer abortos em outros países”.

Fatos históricos

Lula destacou que é importante estimular outros debates sobre temas relacionados aos direitos humanos. Há 40 anos, conforme ele lembrou, morria nos Estados Unidos o pastor Martin Luther King Jr., que lutou pela igualdade racial, e agora os Estados Unidos elegeram um negro [Barack Obama] para a presidência, e a Bolívia elegeu um índio [Evo Morales].

A conferência acontece no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, até o dia 18 de dezembro. A cerimônia de abertura teve as participações do presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, e do presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS).

Fonte: Agência Câmara