Um professora da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), no Rio de Janeiro, é suspeita de injúria por preconceito religioso. Segundo a Polícia Civil, a mãe de um aluno, os dois adeptos de uma religião africana, prestou queixa onde afirma que o filho foi expulso da sala e chamado de “filho do demônio” pela mulher.

A queixa ocorreu em junho do ano passado, contudo o inquérito foi aberto apenas neste mês. De acordo com o delegado Carlos Henrique Machado, da 28ª Delegacia de Polícia (Campinho), ele assumiu em 2009 a DP e ficou sabendo do caso.

Contudo, de acordo com ele, a investigação não estava parada e a professora e testemunhas foram ouvidas.

O delegado afirma que, se comprovado o crime e a mulher for condenada, pode pegar de um a três anos de reclusão.

Fonte: Terra