A mãe de santo alegou ter incorporado uma entidade que mandou que as pessoas jogassem garrafas de álcool numa panela com fogo, o que resultou num incêndio

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) condenou a mãe de santo Jacira das Graças Moreira a 10 anos de prisão por ter causado um incêndio que resultou em morte de três pessoas, em 1999. O crime ocorreu na noite do dia 7 de setembro, no Centro Espírita Cantinho da Vovó de Aruanda, no bairro de Campinho, zona norte da capital fluminense.

Alegando estar incorporada pela entidade “Padilha”, a mãe de santo determinou que os participantes da cerimônia jogassem garrafas de álcool numa panela com fogo. O ritual, que tinha o objetivo de evitar a morte de um filho de santo, resultou num incêndio de grandes proporções. Além dos mortos, dez pessoas ficaram feridas.

A 8ª Câmara Criminal acolheu o voto da relatora, desembargadora Suely Lopes Magalhães, e manteve sentença da 2ª Vara Criminal de Madureira que já havia condenado a ré, em novembro de 2009.

Jacira das Graças alegou no recurso que agiu quando estava inconsciente e pediu a anulação do processo porque, segundo ela, as testemunhas conversaram entre si, antes da audiência. Ela terá de cumprir pena em regime inicial fechado.

[b]Fonte: Agência Estado[/b]