Pastora Lucimari Alves Barro da Igreja Quadrangular comete suicídio
Pastora Lucimari Alves Barro da Igreja Quadrangular comete suicídio

Mais dois líderes evangélicos, uma pastora e um presbítero, cometeram suicídio esta semana. Ao todo já são quatro líderes que se suicidam só neste mês de dezembro.

O caso mais recente aconteceu nesta quarta-feira, 27. Foi a pastora Lucimari Alves Barro (foto acima), da Igreja do Evangelho Quadrangular, de Criciúma, Santa Catarina.

Lucimari era casada com o pastor Sandro Barro. Ela não deixou bilhete e a família não se manifestou publicamente sobre o que teria motivado o ato. A pastora foi sepultada na tarde desta quinta em Criciúma.

Nas redes sociais, diversos pastores lamentaram o ocorrido, entre eles, a pastora Aimée Chaves, que usou seu perfil no Facebook para deixar a seguinte mensagem de pesar: “Meu coração está dilacerado, pela perda dessa pastora tão amada, tão querida e dedicada a obra. Muitos de nós pastores andamos muito sozinhos, precisamos de amigos, pessoas pra desabafar, pessoas que não vão expor nossas feridas, mas nos amar e ter misericórdia, amigos para nos orientar e nos entender como ser humano, sem julgamentos, e não apenas olhar para nós como “pastores super-heróis”. #AcordaIgreja vamos parar de julgar, vamos amar mais vamos ouvir uns aos outros sem julgamento. Meu coração dói por estarmos como igreja tão longe dos nossos colegas que precisam de amor, atenção ou só de alguém para os ouvir. Meus sinceros sentimentos e orações a toda a família, amigos e a Igreja de Criciúma-SC. #AcordaIgreja”

Quem também se solidarizou foi a pastora Franciele Batista. “Triste saber que muitos homens e mulheres de Deus estão desistindo da vida, pela pressão e ataques espiritual dificuldades encontradas ao longo do caminho , sem apoio muitas vezes, sempre está presente na vida de pessoas que precisam, mas quando precisa se vê sozinho, se sua igreja está bem é alvo que críticas dos companheiros que em vez de se alegrar com o crescimento se enche de ciúmes e torcem pra que algo de errado aconteça com o pastor , pra ver sua queda pra se auto afirmar”, escreveu.

Também fez um desabafo: “Muitos não sabem até pensam que vida de pastor é fácil é boa. Não sabem a luta espiritual que enfrentam, pois não lutamos contra carne e sangue mas sim contra espíritos malignos que agem na vida das pessoas. Guerreamos contra o inferno pra atrair as pessoas a Deus”. Pediu pela intercessão da igreja pelos líderes: “Precisamos de proteção pois enfrentamos muitas ciladas e ataques espiritual ao longo da jornada. Que Deus guarde os pastores que tem compromisso com o reino de Deus , de todo desanimo e ataques espiritual”.

Outro caso

O outro caso de suicídio de um líder religioso foi do presbítero João Luiz Tavares (foto abaixo), da Igreja Assembleia de Deus em Iguaba Grande, na Região dos Lagos (RJ). Ele foi encontrado morto, pendurado em uma árvore do quintal de sua casa.

O caso foi noticiado pelo site RC24h, declarando que a população local ficou chocada com a morte do presbítero que aconteceu quase uma semana depois da morte do pastor Júlio Cesar, ex-presidente da AD Madureira também na Região dos Lagos.

Segundo o site, os moradores de Iguaba Grande lamentaram a morte de João Luiz pelas redes sociais e comentaram o crescimento do número de suicídio na região nos últimos meses.

Pastores da Assembleia de Deus

Os dois primeiros casos de suicídio neste mês de dezembro foram dos pastores da Assembleia de Deus, Ricardo Moisés e Júlio César Silva.

Pastor Ricardo Moisés, de Cornélio Procópio, e pastor Júlio César Silva, de Araruama se suicidaramO pastor Ricardo Moisés (esquerda na foto), da Igreja Assembleia de Deus, se enforcou em sua casa que fica nos fundos da igreja.  Com 28 anos de idade, Ricardo foi encontrado já sem vida por sua esposa, que chegou a acionar o SAMU e a Polícia Militar, mas era tarde demais.

O pastor Júlio César Silva (direita na foto), ex-presidente da Assembleia de Deus Ministério Madureira em Araruama (RJ) tirou a própria vida por enforcamento. O corpo do pastor foi encontrado na varanda de sua casa, localizada em um condomínio na região nobre da cidade.

Depressão de pastores

Os números cada vez maiores de pastores que cometem suicídio têm preocupado instituições em todo o mundo.

O Instituto Schaeffer, dos Estados Unidos, chegou a pesquisar sobre a saúde mental de líderes religiosos e revelou que 70% dos pastores lutam constantemente com a depressão, e 71% estão “esgotados” física e mentalmente.

Ainda de acordo com esta pesquisa, 80% dos pastores acreditam que o ministério pastoral afeta negativamente suas famílias e 70% dizem não ter um amigo próximo.

Assim como o número geral de suicídios, os casos com vítimas que lideram igrejas também têm a depressão como principal causa. Além da doença, fatores como traições ministeriais, baixos salários, isolamento, falta de amigos e problemas conjugais também foram registrados.

Fonte: Gospel Prime, JM Notícia e Cantu em Foco