Depois de um ataque de extremistas hindus a cinco cristãos em uma residência no dia 22 de fevereiro, na cidade de Balaghat, em Madhya Pradesh, o novo presidente eleito da Associação Cristã de Balaghat, que é médico, foi espancado por prover ajuda às vítimas.

Membros do grupo extremista hindu Bajrang Dal são suspeitos do ataque contra o doutor Robin Singh, um médico e líder cristão, porque ele forneceu ajuda legal, física e administrativa a Tom George, Sunil Lal e outras pessoas que foram arrastadas depois de participarem de um encontro cristão e espancadas com varas de bambu, paus e bastões, entre outras armas.

O ataque ao doutor Singh parece ter sido calculado para que ele não tivesse feridas aparentes. Ele foi espancado com armas não-cortantes, dessa forma, uma grave queixa policial não seria formalizada contra os 10 ou 12 extremistas hindus. Eles bateram no médico com pedaços de madeira, além de atingirem o cristão com socos e chutes nos pés, para que as lesões fossem apenas internas.

“Dessa vez eles não usaram armas para que as lesões não fossem visíveis. Uma tentativa de assassinato poderia ser registrada contra eles”, disse o médico ao Compass. “Fui pego de surpresa e não sabia o que estava acontecendo. Foi tão de repente e eu estava tão chocado, que eu nem consegui gravar os rostos das pessoas que me atacaram.”

Retaliação

Como presidente da Associação Cristã de Balaghat, o doutor Robin Singh representa ativamente os interesses cristãos diante da administração local.

O ataque contrasta com o sofrido em 22 de fevereiro por George, Lal, Vijay Patle, Aman Sri Nag e uma mulher chamada Leela Patle. Lal e George tiveram sérias lesões internas, mas também tiveram contusões e sangramentos visíveis externamente.

Lal teve feridas na cabeça, orelhas, bochechas, ombros, mãos, estômago, joelhos e em sua perna esquerda. Os extremistas hindus chegaram de carro à clínica para cometer o vandalismo às 21h30.

“O grupo quebrou completamente toda a frente da clínica, destruiu os vidros, a recepção e todos os medicamentos que estavam dentro”, disse o pastor Jagjit Singh, do Ministério do Crescimento Criativo de Balaghat.

Vontade de desistir

O pastor Robin Singh declarou que a polícia local ainda não fez nada, mas uma investigação foi aberta contra os agressores. “Nenhuma prisão foi feita pela polícia, mesmo no caso anterior”, disse ele. “Os agressores estão livres, e a comunidade cristã se sente intimidada por causa de tudo isso”, revelou o médico.

Durante as declarações ao Compass, o doutor Robin Singh parecia fraco. Segundo boatos, ele teria proposto sua renúncia ao cargo de presidente da Associação Cristã de Balaghat, pois o incidente o fez ficar amedrontado. Líderes cristãos estão tentando convencê-lo a continuar no cargo. Ore por ele.

Os líderes cristãos de Balaghat, juntamente com líderes nacionais e estaduais, estão considerando expressar suas preocupações sobre a violência contra a comunidade cristã ao ministro-chefe do Estado de Madhya Pradesh, Shivraj Singh Chouhan, e ao governador Balram Jakhar. Interceda pelo sucesso dessa iniciativa.

Fonte: Portas Abertas