Integrantes de uma seita russa que acredita no fim do mundo ameaçaram cometer suicídio coletivo nesta sexta-feira.

Os 29 integrantes, entre eles quatro crianças –uma de um ano e seis meses– montaram um acampamento em uma caverna na região russa de Penza (650 km de Moscou). Eles levaram víveres para se manter até maio próximo, quando, segundo dizem, o mundo acabará. A temperatura na caverna está abaixo dos 12 ºC, informa a agência de notícias russa Itar-Tass.

O líder da seita –intitulada “A Verdadeira Igreja Ortodoxa Russa”–, Pyotr Kuznetsov, passa por exames psiquiátricos e responde a processo por formar uma organização cujas “atividades são associadas à violência”, afirma a Itar-Tass.

Os membros da seita recusam os pedidos das autoridades para soltar as crianças e deixar o local. Eles ameaçam explodir galões de gasolina caso a polícia use a força para demovê-los, afirmou o porta-voz da administração regional Yevgeny Guseynov.

Psicólogos, médicos e uma equipe de resgate ajudam nas negociações com os membros da seita.

“Obviamente é uma insanidade”, disse um membro da Igreja Ortodoxa Russa. “Provavelmente é um caso clínico. Há um fenômeno muito perigoso acontecendo na vida religiosa na Rússia”

Pyotr Kuznetsov formou o grupo após deixar a Igreja Ortodoxa Russa, mas não acompanha seus seguidores na caverna.

Fonte: Folha Online