Milhões de muçulmanos continuam chegando à Arábia Saudita para a peregrinação anual a Meca, cercada desta vez pelo medo da gripe suína e por um forte esquema de segurança.

Na chegada à cidade sagrada, os peregrinos vestem roupas brancas e circulam a Kaaba, a estrutura de pedra que fica no centro da Grande Mesquita, o lugar mais sagrado do islã.

É uma obrigação de todos os muçulmanos realizar a peregrinação pelo menos uma vez na vida, desde que tenham condições físicas e financeiras para isso.

A diferença este ano é a ameaça do vírus da gripe suína, que já matou dezenas de pessoas na Arábia Saudita. Nos próximos dias, os fiéis vão estar vivendo e rezando juntos no local, o que facilitaria o contágio. Algumas pessoas estão usando máscaras numa tentativa de evitar a doença.

Outra preocupação é a segurança. O governo saudita disse que não vai tolerar qualquer tentativa de atrapalhar a peregrinação e colocou mais de dez mil soldados e policiais nas ruas de Meca.

O trabalho deles é evitar tumultos e tentar identificar pessoas que possam causar confusão, especialmente peregrinos xiitas iranianos, que poderiam tentar usar a ocasião para fins políticos.

A posição oficial do governo saudita, no entanto, é de que todos os peregrinos vão ser tratados da mesma forma, mas que protestos não vão ser tolerados.

Fonte: Folha Online