O ministro da Saúde britânico, Ben Bradshaw, afirmou que o governo está certo em autorizar a criação de embriões híbridos de humanos e de animais por meio de uma legislação.

A declaração foi feita na sexta-feira (21) para a rede BBC após um cardeal da Igreja Católica atacar o governo chamando as pesquisas de “experiências ao estilo de Frankenstein”.

O líder da Igreja Católica na Escócia, cardeal Keith O’Brien, afirmou que a nova lei proposta permite práticas criminosas e quer que o governo permita voto livre dos deputados na hora de aprovar a legislação.

O ministro britânico disse que o religioso não teve a interpretação adequada e que suas críticas à legislação proposta foram “excessivas e emotivas”.

“Trata-se do uso de células pré-embrionárias para realizar pesquisas que podem ter o potencial de aliviar o sofrimento de milhares de pessoas no país. Para o governo, isto é uma boa coisa.”

Em janeiro, o órgão regulador de fertilidade e embriologia do Reino Unido deu sinal verde à criação de embriões híbridos destinados à pesquisa com fins terapêuticos.

O projeto de lei, que será submetido à votação no Parlamento nos próximos dois meses, autorizará a criação, para fins de pesquisa, dos embriões híbridos por meio de injeção de células ou DNA de animais em embriões humanos ou de células humanas em óvulos de animais.

A proposta permitirá também que casais de mulheres homossexuais que tenham contraído união civil se tornem pais legais de uma criança. Com isso, as clínicas especializadas não precisarão exigir que haja um pai antes de oferecer um tratamento de fecundação in vitro.

Fonte: Folha Online