Monsenhor Abílio Ferreira da Nova, fechou acordo com o Ministério Público para doar R$ 30 mil, à uma instituição cristã.

O ex-ecônomo (responsável pela administração dos bens) da Arquidiocese do Rio de Janeiro, monsenhor Abílio Ferreira da Nova, fechou acordo com o Ministério Público Federal para que fosse suspenso o processo a que respondia na Justiça Federal por suposto crime contra o sistema financeiro nacional.

Nova concordou em doar R$ 30 mil, em três parcelas de R$ 10 mil, à Instituição Cristã Amor ao Próximo, sediada em São Gonçalo (região metropolitana do Rio).

Ele se comprometeu também a comparecer trimestralmente perante à Justiça nos próximos dois anos e não mudar de residência nem se ausentar por mais de 30 dias sem comunicar o fato às autoridades judiciais.

Caso cumpra todas as condições, o processo será extinto em dois anos.

Ferreira da Nova respondia ao processo depois de ter sido detido em setembro do ano passado com 45 mil euros não declarados em sua bagagem.

À época, ele disse que viajava em férias para sua cidade natal, em Portugal, e que o dinheiro, que consistiria de economias próprias acumuladas ao longo da vida, serviria para ajudar parentes pobres e a paróquia onde ele foi batizado.

Ele também afirmou não ter declarado o dinheiro porque chegou tarde ao aeroporto.

[b]Fonte: Folha Online[/b]