Eles reclamam que a igreja invadiu um terreno no bairro Nova Cidade, em Manaus, em local onde queriam uma praça.

Moradores da rua 53, quadra 104, no bairro Nova Cidade, Zona Norte, reclamam, do que eles chamam de “invasão de um terreno pela igreja evangélica Assembléia de Deus”, próximo à torre de transmissão da Rádio Boas Novas, que também pertence à igreja.

Os moradores dizem que já procuraram a Superintendência Estadual de Habitação (Suhab) para receber autorização para construir uma área de convivência às famílias no mesmo local. Segundo Robert Saif, 33, a resposta da superintendência é que não poderia ser feito nada, por ser uma ‘área verde do conjunto’.

“Há dois anos nós fizemos um chapéu de palha aqui, veio a Suhab e a polícia e derrubaram. Nós já fomos pedir para fazer qualquer melhoria aqui: jardim, praça, qualquer coisa, e não tivemos resposta. Agora, vem essa igreja e faz um templo aqui”, questiona Maria José, 45, moradora há 6 anos no local.

Uma comissão de moradoras está organizada para ir até a sede da Suhab ainda essa semana para pedir a imediata retirada da estrutura metálica erguida por funcionários da igreja.

“Nós limpamos o terreno pelo menos para que as crianças tivessem onde brincar, sem ser no meio da rua, e sem nenhum documento ou aviso, esses homens vieram aqui e fizeram a estrutura da igreja em menos de um dia”, reclama Robert Saif.

[b]Área disponibilizada
[/b]
A Suhab informou através da sua assessoria que a área foi disponibilizada para a Assembléia de Deus construir uma igreja, e que uma equipe técnica deverá ir no local ainda essa semana para avaliar a construção e verificar se houve o uso indevido do terreno.

Questionados sobre a reclamação dos moradores, de que a Suhan não autorizou benfeitorias no local, por se tratar de área verde, a assessoria disse que não possui registro de nenhuma visita de representantes dos moradores à sede da Superintendência requerendo a intenção de construir algo no local.

[b]IEADAM[/b]

A Assembléia de Deus, por sua vez, informou que nesta quinta-feira (17) irá ter uma reunião geral com os pastores da região da Zona Norte e que só a partir das 14h teria alguma informação sobre o caso do terreno no Nova Cidade.

As duas instituições não souberam precisar qual tipo de autorização ou a data do documento permitindo à igreja de construir no local. As duas, também disseram à reportagem, que iriam providenciar cópia do documento e, tão logo o encontrem, enviariam para anexar à matéria. Enquanto isso a dúvida e a o imbróglio sobre a construção da igreja no terreno continua.