O búlgaro Serguei Antonov, acusado de ter participado de um atentado contra o Papa João Paulo II em 1981 antes de ser absolvido em 1986, morreu em Sófia, anunciou nesta quarta-feira o Ministério do Interior búlgaro.

“Antonov morreu de causas naturais. O hospital nos confirmou”, declarou uma porta-voz à AFP.

Segundo o médico Guéorgui Guélev, citado pela agência BTA, “a morte de Antonov ocorreu há alguns dias”.

O corpo do búlgaro de 58 anos de idade foi encontrado em sua casa em Sófia depois que uma vizinha notou sua ausência, informou a agência BGNES.

Preso em 1982 depois que o autor turco do atentado, Mehmet Ali Agca, afirmou que ele havia fornecido a arma para que atacasse João Paulo II, Serguei Antonov foi absolvido em 1986 por “falta de provas”.

Antonov retornou para seu país onde passou a viver na pobreza, afligido por uma doença mental.

O Estado búlgaro, que sempre defendeu sua inocência, concedeu a ele em 2002 “uma pensão por méritos excepcionais”.

A acusação feita contra Serguei Antonov por Mehmet Ali Agca jamais foi provada, mesmo após a abertura dos arquivos dos serviços secretos comunistas búlgaros em 1989.

Agca foi condenado à prisão perpétua tendo depois sua pena reduzida para dez anos de detenção.

Fonte: AFP