Uma exposição em cartaz no Maac (Museu de Arte Assis Chateaubriand), da Universidade Estadual da Paraíba, abriu polêmica com a Igreja Católica por retratar personagens bíblicos em cenas de sexo e prostituição.

A Diocese de Campina Grande, onde fica o museu, analisa a medida que vai tomar contra a mostra. Entre 24 obras, há os quadros “Jesus e Madalena”, em que os dois fazem sexo, e “Prostitutas da Mesma Esquina”, no qual padres e pastores aparecem em poses sensuais.

Jarrier Alves, autor das obras, disse que o objetivo é mostrar a “exploração da fé”. “É uma crítica ao comércio e à prostituição da fé.” O bispo de Campina Grande, dom Jaime Rocha, disse que a exposição é “bastante agressiva”.

Para o museu, a universidade é um espaço democrático e de reflexão. A exposição vai até 21 de setembro.

Fonte: Folha de São Paulo