Enquanto muitos cristãos celebraram ontem a Quinta-feira Santa, os muçulmanos lembraram o aniversário do nascimento do profeta Maomé há quatorze séculos, que no Egito se transformou em uma grande romaria, mas sem imagens.

Apesar de as ruas egípcias amanhecerem quase desertas com lojas, colégios e edifícios públicos fechados, conforme foi avançando o dia, foram recuperando seu burburinho habitual com muitas famílias que aproveitaram o dia festivo para passear ao ar livre e comer fora de casa.

A oração muçulmana do Asr (da tarde) marcou o início da romaria na qual fiéis, procedentes de todos os cantos do Egito, e de outros países muçulmanos, desfilaram pelas ruas do bairro islâmico do Cairo, em desafio às normas da ortodoxia muçulmana que não contempla tais excessos.

Como uma irmandade, os participantes da procissão, todos eles sufis, se agruparam segundo sua procedência, levando cartazes de diferentes cores, enquanto entoavam cantos religiosos que eram aclamados e aplaudidos pela multidão reunida para ver o desfile.

Muitas mulheres uivavam durante a passagem das confrarias, enquanto as crianças se ocupavam em recolher as balas que muitos atiravam e alguns idosos lançavam perfume na multidão.

O destino final da comitiva era a mesquita El Hussein – que faz referência ao neto de Maomé – muito venerado pelos egípcios, onde uma multidão de espectadores esperava por eles.

“Todos eles (os que desfilam) querem mostrar seu respeito a Maomé e se reunirão no túmulo de Hussein para pedir a Deus que seja piedoso com ele”, disse à Agência Efe, Mohammed Adel Abdel Halim, dono de um comércio situado em frente da mesquita, onde se afirma que está enterrada a cabeça do neto do profeta.

Halim declarou que o melhor desta festa é que “está aberta a todas as religiões”, enquanto apontava para os numerosos turistas que olhavam curiosos o que estava passando na rua.

Depois do desfile, os fiéis entraram na mesquita El Hussein para rezar, embora, após a oração, a festa prosseguirá até altas horas da noite.

O aniversário do nascimento do profeta Maomé, conhecido como Mawled Al Nabawi, é celebrado no dia 12 do mês Rabi Al-Awal, que é o terceiro mês do calendário muçulmano.

Maomé nasceu por volta do ano 570 depois de Cristo no oásis do Hiyaz, no centro ocidental da atual Arábia Saudita (perto de Meca), onde fundou e presidiu o Islã, até sua morte no ano 632.

Fonte:EFE