Uma mulher chocou aqueles que participavam da celebração do Chanucá (festa judaica das luzes) ao entrar num setor reservado para homens, próximo ao Muro das Lamentações, tirar a roupa e deitar no chão completamente nua, segundo a agência Ansa.

No momento, religiosos liam uma pregação recitada em estado de imobilidade. Deste modo, só puderam expressar sua reprovação com gritos. Um auxiliar do rabino responsável pelo Muro das Lamentações, Shmuel Rabinovic, cobriu a mulher com uma capa e a encaminhou para fora do local.

Pessoas que conversaram com a mulher acreditam que ela tenha algum tipo de perturbação mental. Segundo eles, ela dizia ter agido por vontade divina. É possível também que ela tenha sido vítima da síndrome de Jerusalém, que acomete turistas quando entram em contato com locais sagrados.

O Muro das Lamentações é o local mais sagrado do judaísmo por ter feito parte do do Templo de Jerusalém, destruído pelas legiões romanas em 70 d.C.

Fonte: Terra