Papa Francisco
Papa Francisco

O papa Francisco considera que o conflito no Oriente Médio precisa de uma solução de dois Estados. A partir da varanda da Basílica de São Pedro, no Vaticano, o chefe da Igreja Católica dedicou a habitual mensagem de Natal às crianças que sofrem em todo o mundo, em particular as crianças do Oriente Médio , que continuam a sofrer consequências do conflito entre israelenses e palestinos.

“Neste dia de festa pedimos a Deus Paz para Jerusalém e para toda a Terra Santa”, afirmou, “rezamos para que entre as duas partes prevaleça a vontade de retomar o diálogo e que se possa finalmente chegar a uma solução negociada que permita a coexistência pacífica de dois estados, dentro de fronteiras mutuamente concordadas e internacionalmente reconhecidas.”

A mensagem do papa surge pouco tempo depois de os Estados Unidos terem reconhecido Jerusalém como a capital de Israel. Uma decisão que tem sido contestada pela comunidade internacional.

Na quinta-feira, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou uma resolução que condenava esta decisão com 128 votos a favor, nove contra e 35 abstenções. Um dos países que votou ao lado dos norte-americanos foi a Guatemala, que este domingo deu um novo passo. O presidente Jimmy Morales anunciou no Facebook que vai transferir a embaixada de Telavive para Jerusalém, tal como fizeram os Estados Unidos.

Na mensagem de Natal que antecede a benção Urbi et Orbi, o Papa Francisco recordou crianças de outros países em conflito, como a Síria, o Iraque, o Iémen, a Península da Coreia e a Venezuela.

O chefe da Igreja Católica voltou a mencionar a última viagem que fez, a Myanmar e ao Bangladesh. Sem referir diretamente o povo Rohingya, o papa apelou a que as minorias da região conseguiam viver em paz no país. “Espero que a Comunidade Internacional não cesse de trabalhar para que seja adequadamente tutelada a dignidade das minorias presentes na região”, afirmou.

Fonte: TSF – Portugal